topo

 

Humanizar o processo de desligamento do profissional, é possível?


Sempre que ouvimos alguém ser admitido em uma organização, ficamos felizes e de imediato vem a sensação  que mais uma pessoa conseguiu alcançar seu objetivo.

Ao contrário, quando sabemos que alguém foi desligado, a princípio, dizemos: que pena, o que aconteceu, quem foi o culpado, quanto tempo de casa ele tinha, qual a idade dele...lamentável o que acontece em nosso país!...

Sem pararmos para qualquer análise mais profunda sobre o certo e errado da demissão, a ideia aqui é abordarmos que ela pode acontecer, mas não precisa ser tão dolorosa.

Sabemos que um profissional não deixa de ser interessante para a empresa do dia para a noite. Trata-se de um conjunto de acontecimentos que culminam no desligamento.

Nosso foco hoje é falar do processo de desligamento. Há uma unanimidade: a forma como foi verbalizado e a postura das pessoas que o fizeram. São diversos os sentimentos, mas a mágoa maior é o tratamento recebido no momento do desligamento.

Lembrando que não se trata de um momento feliz, qualquer coisa dita, terá maior relevância, há emoções no ar, mas, é possível falar e agir com respeito e cordialidade.


Muitas empresas buscam por meio do processo de outplacement, conduzir com dignidade a demissão de seus colaboradores.


Há uma unanimidade: a forma como foi verbalizado



Para a empresa: profissionaliza e humaniza o momento do desligamento.

Para o profissional: assegura que essa etapa de Transição de Carreira possa ajudá-lo a definir, direcionar e avaliar seus próximos passos com base em suas expectativas, interesses, habilidades e valores, sem deixar de olhar os motivos que o levaram a ser demitido.

imagem

Por outro lado, as empresas que buscam contratar utilizando como fonte de recrutamento os profissionais em processo de outplacement, contam com apresentações de profissionais qualificados, com suas competências e habilidades mapeadas e desenvolvidas o que contribui para sua gestão e captação de novos talentos.

Ressaltamos que participar de um processo de outplacement  não é garantia de emprego, porém propulsiona uma exposição e visibilidade maior do profissional ao mercado.

Oferecer um programa de outplacement significa atuar de forma socialmente responsável, fortalecendo a imagem institucional e colaborando positivamente com a qualidade do clima corporativo.

E assim concluímos , é possível humanizar o processo de demissão!


topo